Você sabe o que é SQF – Síndrome da Quilomicronemia Familiar?

DE OLHO NO RÓTULO

Comida e SQF: Aprenda a Ler os Rótulos dos Alimentos

Para o indivíduo com diagnóstico de Síndrome de Quilomicronemia Familiar (SQF), ter controle sobre sua alimentação é fundamental e saber ler os rótulos faz diferença na hora de realizar as compras de supermercado.1,2

POR QUE QUEM TEM A SÍNDROME DE QUILOMICRONEMIA FAMILIAR (SQF) PRECISA LER RÓTULOS DE ALIMENTOS?

Ter o hábito de ler o rótulo dos alimentos ajudará você a fazer escolhas mais saudáveis. Fique atento, pois muitos alimentos são preparados com mais gorduras do que imaginamos. Elas realçam o sabor da maioria das preparações, por isso são tão utilizadas nos alimentos industrializados.1

Lembre-se de que você deve redobrar os cuidados com a alimentação, uma vez que a SQF impõe restrições alimentares que limitam o consumo de gorduras em até 20 gramas por dia, portanto, fique atento aos rótulos.1

COMO OS RÓTULOS FORAM CRIADOS?

A indústria alimentícia passou por um processo de ‘desnaturalização’ da comida. Inúmeras substâncias químicas e procedimentos para tornar os alimentos mais resistentes, duradouros ou saborosos fizeram com que muito do que é oferecido nos mercados não seja saudável.3

Com isso, para prevenir a população e lhe dar o direito de fazer escolhas bem embasadas, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) criou a Rotulagem Nutricional Obrigatória (RNO)4, em conformidade com as diretrizes do Mercosul.5

Com a RNO, a indústria alimentícia foi obrigada a colocar nas embalagens as informações calórico/nutricionais e composição do alimento que está sendo vendido.4

Figura_10
Figura_11

Mas como ler o que está escrito no rótulo?

QUAIS INFORMAÇÕES ESTÃO NOS RÓTULOS DOS ALIMENTOS?

Todos os rótulos de alimentos trazem as mesmas informações, dispostas da mesma forma, para facilitar a leitura.

QUAIS INFORMAÇÕES ESTÃO NOS RÓTULOS DOS ALIMENTOS?

  • 1. No topo há a “Porção”, ali o fabricante estipula uma quantidade, apresentando-a de duas formas: em gramas e de uma maneira mais usual ao consumidor (colheres de sopa, colheres de café etc.).4,6

 

  • 2. Abaixo vem a lista com os elementos que compõem o valor nutricional do alimento. Sendo eles:4,6
    • a. Valor energético (Kcal): Quantidade de energia liberada pelos alimentos para o nosso corpo.
    • b. Carboidratos: são os nutrientes que fornecem a maior parte de energia às células do corpo. Energia esta que, se não for gasta, se converte em gordura.
    • c. Proteínas: são fundamentais para o funcionamento do corpo, auxiliando na formação dos músculos, na produção de hormônios, sistema imunológico, transporte do oxigênio e afins.
    • d. Gorduras: também fornecem energia ao nosso corpo e representam a soma de todas as gorduras (saturadas, insaturadas e trans) na composição do alimento.
    • e. Gorduras Saturadas: gordura presente em alimentos de origem animal (leite, carne, queijo e afins) e vegetal (óleo de palma, coco e trans)
    • f. Gordura Trans: presente em alimentos que possuem gordura vegetal hidrogenada.
    • g. Fibras Alimentares: auxiliam no funcionamento dos intestinos. Presente em alimentos de origem vegetal.
    • h. Sódio: alimentos industrializados possuem em grande quantidade. Em grandes porções, podem contribuir com o aumento da pressão e desregula a quantidade de água no corpo.

 

  • 3. Ao lado de cada um dos itens listados vem a quantidade em gramas dele no produto.4,6

 

  • 4. Por último, no lado direito do peso, você encontra o “%VD” (Percentual do valor diário recomendado para a maioria das pessoas). Ele indica o percentual de nutrientes que cada porção oferece em relação ao que é recomendado, tendo como base dieta de 2000Kcal.4,6

Mas é preciso prestar atenção nas quantidades

Em razão das restrições alimentares, os indivíduos com Síndrome de Quilomicronemia Familiar (SQF) devem estar atentos à quantidade da porção que será consumida, já que as informações dos rótulos não apontam para a quantidade total de alimento na embalagem.6

As porções são predefinidas e uma única embalagem pode conter diversas delas. É necessário medir com cuidado para ter certeza de que a quantidade separada de fato corresponde à descrita no rótulo.6

Balança com frutas e vegetais

AJUDA NA PALMA DA SUA MÃO: APLICATIVOS QUE FACILITAM A LEITURA DE RÓTULOS

Para auxiliar o indivíduo com Síndrome de Quilomicronemia Familiar (SQF) a consumir adequadamente a quantidade de gordura prescrita no plano alimentar, o uso de aplicativos que auxiliam na leitura de rótulos pode facilitar o dia a dia.

Estes aplicativos, apesar de não serem feitos especificamente para quem tem SQF, podem ser de grande ajuda na hora de fazer compras no supermercado e variar seu cardápio.

• Com o Desrotulando7, é possível escanear o código de barras do alimento em tempo real, recebendo um relatório das suas informações nutricionais.

• O EWG’s Food Scores8 é a versão estrangeira do Desrotulando. Apesar de realizar a mesma função, o aplicativo não possui idioma português, mas pode ajudar no escaneamento de produtos importados.

REFERÊNCIAS​

1 Williams L, Rhodes KS, KarmallyW, et al. Familial chylomicronemia syndrome: Bringingto life dietary recommendations throughoutthe life span. J Clin Lipidol. 2018;12(4):908-919.

2 Louzada MLC, Canella DS, Jaime PC, et al. Alimentação e saúde: a fundamentação científica do guia alimentar para a população brasileira. 2019. Disponível em: http://colecoes.sibi.usp.br/. Acesso em: 04 de junho de 2020.

3 Evangelista J. Tecnologia de alimentos. São Paulo: Atheneu. 2a edição. 2001.

4 Rotulagem Nutricional Obrigatória. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/ Acesso em: 04 de maio de 2020.

5 Princípios no Mercosul para a rotulagem frontal de alimentos com conteúdo excessivo de gorduras, sódio e açúcares. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br. Acesso em: 04 de maio de 2020.

6 Ministério da Saúde. Rótulos de alimentos: orientações ao consumidor. 2011. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/. Acesso em: 04 de junho de 2020.

7 Desrotulando. Disponível em: https://desrotulando.com/. Acesso em: 04 de maio de 2020. 

8 EWG’s Food Scores. Disponível em: https://www.ewg.org/foodscores/. Acesso em: 04 de maio de 2020.